A vida hoje e suas incertezas…

Quando a Mari me convidou para falar sobre incertezas, ela me disse que essa palavra havia soado muito forte em seu coração e essa foi a mesma sensação que senti quando ela me contou. Afinal, incerteza é a palavra que define o momento que estamos vivendo.

Sou psicóloga, atendo dezenas de pessoas toda semana, são pessoas, histórias, famílias. E uma queixa que foi unânime nos últimos tempos diz respeito ao medo do incerto, a impotência diante do atual cenário e o não controle sobre tudo. 

Eu, assim como você, fui pega de surpresa. Senti medo, angústia, pensei: E agora, o que eu faço?

Percebo em nós uma grande necessidade de controle, de ter certeza, de planejar, roteirizar o que vai acontecer. Um exemplo disso são as viradas de ano, momento em que a maioria das pessoas gosta de refletir sobre o que fez e o que pretende fazer, coloca metas, planeja seus sonhos, se prepõe a tirar do papel várias metas antigas e a colocar novas. É como se, de certa forma, o planejar, ter a autonomia e liberdade para fazer trouxesse uma sensação de segurança, de força e capacidade que grita em nossos ouvidos: “Vai lá, você pode tudo. Está tudo sob controle!”.

O mundo mudou e você precisou mudar também. 

De repente você é pega por uma situação excepcional, o mundo parou, a forma de trabalhar mudou (home office), a forma de estudar mudou (aulas online), a forma de se exercitar mudou (treinos em casa) … Você é obrigada a se adaptar, a desenvolver resiliência.

São nesses momentos que percebemos que não temos controle sobre tudo.

Para muitos isso pode ser adoecedor, mas também pode ser libertador.

Aceitar esse não controle nos gera mais flexibilidade mental, proporciona maior resiliência diante dos desafios, nos aproxima da nossa humanidade (afinal não somos super heroínas, não precisamos ser fortes e dar conta de tudo o tempo todo) e nos afasta de sentimentos como a culpa.

Mas, Jennifer, não ter controle sobre tudo significa que devo deixar a vida me levar? 

Não, longe disso.

O que você deve fazer: 

Significa que devemos mudar o prisma, focar naquilo que podemos controlar. Vou te dar alguns exemplos:

Você não pode controlar o comportamento do outro (marido, amigas), certo?

Mas você pode desenvolver suas habilidades e decidir como agir com ele.

Você não pode controlar todas as situações à sua volta, mas pode decidir como irá reagir a elas.

Você não está livre de adoecer, mas pode decidir cuidar mais da saúde.

Você não está livre de sentir ansiedade, de entristecer-se, mas pode decidir procurar ajuda.

Faça o que você pode e isso inclui cobrar-se menos. 

Enfim, eu te pergunto: O que você pode fazer hoje por você, pelas pessoas que ama e pelo mundo?


Jennifer Lisboa

Psicóloga clínica online

CRP 01/20655

@jenniferlisboapsi

Deixe um comentário