Todo excesso esconde uma falta

Em meados da década de 1990 havia uma música que falava assim: “comida é água, bebida é pasto. Vc tem fome de quê? Vc tem sede de quê?”. O tempo passa, e de vez eu quando eu me lembro dessa letra.

Todo excesso esconde uma falta. São feridas na alma que continuam a sangrar, e que geram no inconsciente o desejo por compensar a dor suprindo uma falta que dói. Falta de quê, vc pergunta? Falta de amor, falta de aceitação, falta de palavras de incentivo, falta de segurança, falta de recursos, falta de alguém… São muitas faltas… Que se escondem por detrás dos excessos…

A falta de autoconfiança que se esconde detrás do excesso de agressividade.

A falta de amor de pai que se esconde atrás do excesso de relacionamentos afetivos frustrados.

A falta de autoestima que se traduz em excesso de consumo (consumismo).

A falta de aprovação na infância que se traduz em excesso de zelo ou perfeccionismo.

A falta de segurança gerada por um abuso, que se traduz em excesso de peso físico, como forma de criar uma “barreira de proteção” física contra os possíveis abusadores…

E por aí vai.

Na tentativa de compensar uma falta emocional, por vezes, cedemos aos excessos e nos deixamos enganar. Ou pior, tratamos apenas os sintomas, mas evitamos tratar as causas, porque dói demais mexer com os velhos esqueletos no armário.

Mas não precisamos viver assim. É possível tratar as feridas e ressignificar as faltas, para viver de uma forma livre, saudável e sem excessos. É possível ter resultados positivos e ter saúde física, mental e espiritual ao tratarmos essas faltas.

Acima de tudo, começar a ser livre só depende do quanto vc quer isso.

 

Torço por vc!

Forte abraço!!

 

Patty Azevedo

 

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário