Autoestima e Nutrição

Ontem aconteceu a primeira live da I Semana da Autoestima do Espelho Rosa, com a dra. Marcelle Vieira, minha nutri maravilhosa! A minha ideia com essas LIVES é desmembrar a Autoestima em várias áreas, a começar pela relação da autoestima com a própria alimentação.

Vocês conhecem minha história, e sabem que a dra. Marcelle Vieira está comigo desde quando eu ainda estava pensando em fazer a bariátrica. Foi a ela que recorri quando escolhi pela bariátrica. E foi com certeza uma das melhores escolhas que fiz!

Me lembro de conviver com a compulsão alimentar desde cedo. E isso me afetou muito. Na minha casa, a gente saía de uma alimentação pra outra. E se não comesse, era como se fosse uma “desfeita”. Então mudar tudo isso foi um processo de muitas dificuldades.

Na LIVE, a nutricionista Marcelle Vieira, partiu do ponto de que estamos vivendo um confinamento! E essa condição faz com que reajamos de diferentes formas, todas ligando, de alguma forma, a alimentação. Muitos viraram Master Chef, mas muitos optaram pela facilidade e “permissividade” ao escolher opções menos saudáveis e que podem influenciar até mesmo na nossa autoestima.

“A baixa autoestima causa insegurança e a alimentação acaba sendo um afago, um momento de alívio.” – Marcelle Vieira

Tem algumas coisas que o nosso paladar já está acostumado. Portanto adquirir novos hábitos exige mais. Segundo a dra. Marcelle, o período de um ciclo de identificação de novos sabores pelas papilas gustativas é de 21 dias. Ou seja, tem que haver uma determinação, uma escolha diária, até que o novo hábito seja instalado, e com isso, um paladar voltado pro mais saudável.

Também falei um pouquinho sobre como foi essa percepção do meu paladar assim que fiz a bariátrica, já que há uma mudança muito grande nos hormônios também. Como a Marcelle diz, está tudo interligado. Há uma variação, claro, de acordo com cada paciente.

As duas dicas preciosas que foram compartilhadas pela dra. Marcelle foram as seguintes:

  • Cortar industrializados e processados, por exemplo: suco de pozinho, refrigerantes. Sugestão: coloque no carrinho ao menos 7 itens que não tenham embalagem. Uma outra forma de ver se uma alimento é muito processado ou não é contando a quantidade ingredientes processados. Até 6, está Ok. Outros exemplos de alimentos poucos processados: frutas, carnes, verduras, ovos e alguns tipos de leite (não todos!).
  • Determine os horários das suas refeições e siga os horários.


Não é fácil, mas precisamos insistir em alguns novos hábitos. Não precisa ser tudo de uma vez. Pode ser aos poucos, diminuindo açúcar, cortando o refrigerante… e por aí vai.

Infelizmente a gente teve uns probleminhas técnicos na LIVE e por isso vamos fazer mais uma, com ainda mais dicas.

MUUUITO obrigada por todas que participaram! Por todo carinho! E espero ver vocês na próxima também!

E amanhã tem mais! Fica de olho! Essa semana vai ser uma LIVE por dia com cada uma das nossas colunistas 😉

Beijooo

Mari Pinheiro

Deixe uma resposta