Síndrome de Mulher-Maravilha

Olá! Já ouviu falar da Síndrome de Mulher-Maravilha? A maioria das mulheres com quem eu converso sofre com essa síndrome. É aquele padrão mental e de comportamento em que você se sente obrigada a carregar o mundo nas costas, a cuidar de tudo e de todos e nunca se cansar ou nunca priorizar as suas coisas. Você pode, até mesmo, se sentir culpada por não atender às expectativas dos outros.

Como essa síndrome se manifesta? Para começar, você acredita que tem a obrigação de dar conta de tudo, de carregar o peso do mundo nas suas costas. Talvez isso aconteça por você ter crescido observando as mulheres ao seu redor e vendo-as assumirem mil responsabilidades, fazendo de tudo para atender às necessidades dos outros.

Um problema enorme acontece quando você, ao assumir para si esse padrão de comportamento, acaba assumindo mais coisas do que é capaz de suportar, e isso gera em você não apenas cansaço, mas também, uma sensação de falta de valor se não for capaz de dar conta de tudo.

Ou então, você sinta que precisa provar algo para os outros, provar para eles que você é capaz de suportar toda e qualquer situação para ter algum valor. Percebe que isso tem a ver com uma maneira distorcida de se enxergar?

Quando você se vê dessa forma, você está, na verdade, deixando de enxergar o valor que já existe em você mesma, por ser única. Assumir cargas que não são suas pode até ser bom para outras pessoas, mas pode ser péssimo para você. Por causa disso, você paga um preço muito caro, sacrificando sua saúde física e emocional, renunciando aos seus sonhos, ficando sobrecarregada, prejudicando sua autoestima…

Antes de mais nada, entenda que você precisa se amar e se enxergar com olhos mais acolhedores, entendendo o que faz sentido ou não para você mesma. Ao entender isso, você começa a caminhar rumo a uma vida mais leve, em que fica mais fácil deixar de fazer algumas coisas para ganhar outras coisas mais importantes.

Vou confessar algo para você: eu já sofri muito com isso. E por causa disso, um dia eu me vi com 40 anos, cansada, estressada, doente, frustrada por não realizar sonhos e perdida, sem saber mais quem eu realmente era. Até que resolvi mudar essa história, a começar pelo resgate da minha saúde. Mas, a partir disso, o resgate pelo qual eu passei foi o da minha própria identidade.

Hoje eu estou aqui para dizer que eu entendo o que você está sentindo quando você se olha no espelho e não se reconhece mais, quando se sente só mesmo no meio de uma multidão. Mas as dores que eu vivi e ressignifiquei me trouxeram um propósito, que é ajudar muitas e muitas mulheres assim como eu a serem protagonistas da sua própria história.

Entenda que, antes de qualquer coisa, você precisa estar bem para que tudo ao seu redor fique bem também. Nós do Espelho Rosa estamos aqui para ajudar vocês!

Um abraço!

Patty Azevedo

Deixe um comentário