Casa de mãe – uma conversa sobre memória afetiva

Somente ao ler esse título eu sei que cada uma de nós será levada a uma lembrança diferente. Viajamos nas memórias de infância, revivemos situações (sejam boas ou más), damos risadas, choramos… por todas as possibilidades que falei, quero te convidar a pensar nisso agora junto comigo.

O dia das mães está chegando, e junto com ele, inúmeras lembranças. Fiz uma enquete no instagram pra me ajudar a montar esse post. E a pergunta era: Qual a sua lembrança da casa da sua mãe? Foram respostas carregadas de emoção, como era de se esperar. A maioria, graças a Deus, eram boas. O carinho, o aconchego, as brincadeiras da infância, as traquinagens, o cafuné, a comidinha feita especialmente, o cheiro da roupa limpinha… Mas pra algumas mulheres também existem pesares, como saudade, medo, dor, angústias.

A vida é assim. Somos hoje o resultado de nossas experiências e da forma que decidimos lidar com elas. Nossa casa, reflete quem somos. Então, Se você já não mora mais com sua mãe, pode trazer pra sua decoração algo que lembre bons momentos. Seja em alguma peça, ou uma foto de uma reunião especial de família. Já tive a oportunidade de inserir num projeto uma cadeira de balanço em madeira com palhinha (linda de viver) onde minha cliente foi embalada quando bebê. É tão gostoso fazer isso. Uma cadeira tão valiosa!

E pra você que já chegou na fase de ser a mãe, tem a partir de agora a oportunidade de criar as próximas memórias afetivas de seus filhos. De forma consciente, criar situações e ambientes que preencham esse espaço especial na lembrança e no coração.

Não sei se você já tinha pensado nisso, mas espero estar trazendo algo pra ser aplicado. Independente do que aconteceu no seu passado, independente de como estão suas memórias afetivas, somos convidadas a construir algo novo, e melhor a partir de nós. Se seus sentimentos são bons, você pode se basear neles, usar as fórmulas aprendidas. Se eles são tristes, você pode aprender as lições e evitar dores futuras.

Por isso, a partir de agora, que tal dar mais atenção à relação que você tem com os espaços da sua casa e como eles se apresentam aos seus filhos? Preste atenção se você está curtindo eles com sua família, ou anda por aí resmungando sobe cansaço e limpeza, reclamando da bagunça… Se tem usado cada cantinho ou existem cômodos tão arrumados e intocados que nem podem ser frequentados. Pense nisso.

Em resumo: crie um ambiente na sua casa pra onde seus filhos queiram voltar quando adultos, e que gostem de lembrar e contar histórias nas reuniões. Use sua casa e construa suas melhores memórias. Celebre a sua família e seja feliz!

Que a paz seja no seu lar!

Deixe um comentário