Sua casa é seu espelho!

Uma leitura que vai te forçar a ver o reflexo bem na sua frente, e por todos os lados também.

Essa verdade um dia me atingiu! Isso mesmo, foi como um soco no estômago (não que eu já tenha levado um, mas já vi muitos em filmes). Aquele tipo de revelação que você nega logo de primeira, é incômoda, te deixa meio paralisada e sem ar. Com vontade de reagir, mas ao mesmo tempo sem condições. Mesmo querendo, não consegue parar de pensar, e discretamente vai te mostrando a realidade.

Como meu compromisso com você é ir sempre muito além da superficialidade e das aparências, vou te ensinar a buscar a essência escondida e encoberta por padrões estabelecidos, e por isso, hoje é dia de encarar seu espelho. Já conversamos sobre a alma da casa, e hoje, vamos refletir mais sobre o reflexo que você está mostrando.

Com tantos anos estudando, observando e desenvolvendo projetos de acordo com a personalidade de meus clientes, a comprovação dessa teoria não foi difícil de alcançar. Difícil mesmo é quando a gente se depara com uma realidade externa, que parecia possível de ser disfarçada e que na verdade está literalmente na cara (pra quem tem olhos pra enxergar, claro).

Eu leio meus clientes por suas casas! Calma, vou te explicar: O seu momento de vida, as tuas emoções, a sua personalidade e seu modo de pensar, ficam expressos na maneira como você se relaciona com o ambiente que ocupa. Alguns casos são muito nítidos. Como uma cliente de consultoria que me chamou pra dar “um jeito” no apartamento onde morava. Ao observar ao redor, vi objetos pelo chão, quadros que nunca foram colocados na parede, pilhas de livros sem local adequado, mix de móveis de outras mudanças, desorganização na cozinha, gavetas cheias de coisas que ela não lembrava, impossibilidade de usar a varanda por falta de estrutura, quarto pouco receptivo… mesmo uma descrição por alto já demonstra como ela estava insatisfeita e infeliz naquele lugar não é?

Eu nem precisava perguntar muito sobre os seus relacionamentos pra entender que havia ali uma pessoa em crise. Fomos conversando sobre a vida, sobre o que ela necessitava e gostava e de repente, lá estávamos como duas amigas contando as últimas desilusões (acontece com frequência, afinal, ter acesso a lugares íntimos revela mesmo a alma).

Esse trabalho em especial me marcou muito. Foi ele que me levou a querer estudar mais sobre personalidade, comportamento, e desejar fazer a formação em coaching. Uma satisfação incrível tomou conta de mim ao ver as mudanças tão significativas que vieram da intervenção que fizemos no apartamento desta cliente. Inserimos cores pra anima-la, descartamos objetos que traziam lembranças ruins, expomos coisas que lembravam pessoas queridas e momentos felizes. Destacamos objetos que expressavam que ela era capaz de conquistas. Organizamos os espaços e demos personalidade aos lugares sem graça. Sugerimos móveis e objetos que lhe deram condição de criar novos hábitos de contemplação, reflexão e relaxamento. No fim de tudo, ela tinha não somente espantado as memórias dolorosas, mas se reabastecido de entusiasmo! Foi uma mudança incrível – muito mais no semblante e na atitude dela do que no imóvel! Ela viu mais do que era naquele momento, conseguiu ver e planejar coisas pro futuro, não é fantástico?

A gente vai conversar mais sobre isso, mas quero te deixar pensando sobre o assunto. Te deixo a tarefa de dar aquela encarada na sua casa hoje, responda pra você: o que você vê, te agrada? O que as pessoas veêm hoje, identificam você e seu momento de vida? Se você não gosta de onde e como mora hoje, vale a pena o exercício e não ignore as respostas mais sinceras do seu coração.

Semana que vem eu quero te mostrar algumas “denúncias” que seus ambientes podem estar fazendo, e que precisam ser confrontadas, resolvidas, pra te dar uma nova visão de si, e até, te mostrar novas possibilidades na vida!

Hoje vou deixar um abraço de encorajamento, e meu desejo de que sempre a paz esteja no seu lar.

Deixe um comentário