O poder da gratidão

Quem me acompanha no meu Instagram ou no Youtube há mais tempo sabe que eu sempre toco nesse tema gratidão. Hoje em dia está super na moda esse assunto, até mesmo com uma conotação meio “piegas”. Digamos que, de tanto falar sobre isso, o assunto já virou clichê. Para muitas pessoas, essa conversa de “seja grata” ou “exercite a gratidão” não passa de besteira, autoajuda barata.

Independentemente de qualquer coisa, existem estudos sérios sendo realizados na área de neurociência, dentre outros, que têm atestado os benefícios de uma mudança de postura mental em relação à vida, incluindo, aí, a questão do exercício de gratidão (Basta dar uma pesquisada no Google Academics ou no Pubmed para verificar).

Anyway, você não precisa ser nenhum cientista ou pesquisador para sentir em seu próprio corpo o quanto faz bem parar um pouco, todos os dias, para fazer uma pausa e refletir sobre o seu dia, acalmando a mente e trazendo à memória aquilo que lhe faz bem, incluindo a questão da gratidão. O fato de acalmar a mente, colocar os pensamentos em um modo mais centrado, mais desacelerado, por si, já contribui para que o próprio cérebro faça o trabalho necessário para que diversos neurotransmissores e hormônios sejam equilibrados, gerando uma cascata de benefícios que alcança diversas áreas, física e emocionalmente falando.

Ou seja, ao exercitar a gratidão diariamente, você não apenas está trabalhando o seu fortalecimento emocional, mas, também, está ajudando o seu corpo físico a ser cada vez mais saudável.

Que tal se dar uma chance e experimentar essa prática diariamente? Que tal começar a treinar o seu olhar para enxergar a vida sob uma perspectiva diferente? Existem vários exercícios que você pode aprender a fazer para incorporar essa prática ao seu cotidiano. Um desses exercícios eu faço desde a adolescência, que é o “caderno da gratidão”. Inclusive, um dos primeiros vídeos que fiz para o meu canal no Youtube (quando eu ainda estava aprendendo a mexer na plataforma) foi sobre esse tema (clique aqui para assistir).

Você não precisa fazer a mesma coisa que eu faço. É, até mesmo, mais interessante que você desenvolva o seu próprio exercício, considerando aquilo que faz mais sentido para você.

Aprenda a ser grato e veja sua vida ganhar outro significado! Um grande abraço!

Patty Azevedo

Deixe uma resposta