3 grandes dicas para as mamães no lockdown

Mais um lockdown! E muitas mamães já passando os uniformes escolares para à volta as aulas.

Há exato 1 ano começamos essa “jornada” como diria Lumena do BBB. “Então respeite a minha jornada”


Porque é bastante trabalhoso, desafiador e muitas vezes desesperador viver tudo isso que estamos vivendo, solo então só potencializa o medo de “faltar”.

Como mãe solo de dois. Vi minha realidade mudar da noite para o dia. Precisei suspender ajuda doméstica e visitas de familiares. Por medo do contágio assumi todas as responsabilidades.
Mercado, farmácia e até escola passaram a ser on-line. Eu de fato VIVO a quarentena desde o início.

A expectativa no trabalho era fazer Home office. Mas que horas mesmo eu consigo trabalhar com as crianças, uma de 1 ano e outra de 7 anos quando a pandemia iniciou, 24h dentro de casa e ainda com todas as tarefas domésticas?
Nas madrugadas claros! A realidade das minhas olheiras. Trabalhar quando a casa dorme é a única solução. Qualquer outro horário não funciona por aqui. E é um mega desafio porque a essa altura do dia já estou cansada. Esgotada fisicamente e mentalmente para ainda tirar 2, 3 horas do meu sono para produzir, trabalhar mesmo que com o que eu amo e me move já não tem mais a mesma leveza.

Porém focar na minha dor não paga as minhas contas. Fato! Então desenvolvi um mantra que me ajuda a nao procrastinar.
Anota aí pra você usar: “Bebê dormindo, mamãe produzindo.” Aproveito cada segundo.

Diante do cenário atual que vivemos eu sei que é difícil não vir às preocupações. O mundo parou, fechamos as porta das nossas casas, fecharam os comércios, escolas e até cidades mas o boletos permanecem chegando. As crianças continuam crescendo e perdendo roupas e sapatos, o coronavírus não matou a fome do planeta. O brinquedo ainda quebra, a pilha acaba, os aniversários chegam. E as crianças querem viver!

A verdade é que por mais que as circunstâncias estejam nos privando e parando algumas áreas das nossa vida, a vida continua acontecendo e nesse um ano tão diferente a gente também está mudando de nível, aprendendo e se reiventando para que a conta feche no final do mês, para os nossos filhos sintam o menor impacto possível do que estamos vivendo. E acredite mamãe, você que está lendo esse texto agora: você merece ser aplaudida de pé! Eu te aplaudo nesse momento cheia de emoção porque conheço a sua dor e os desafios que vem enfrentando. Você é mais que vitoriosa!

O vírus não apenas tirou vidas, mas tem tirado teto, comida, alegria e sorrisos. Tem matado famílias, lares e relacionamentos. Impedir que ele entre na nossa casa não é apenas uma questão de lavar as mãos, limpar as comprar e tirar os sapatos. É preciso cuidar do ambiente que vivemos, da pessoa que somos e nos tornamos, das toxinas que estamos absorvendo com todas as dificuldades que estamos enfrentando.

Eu sei, e eu posso falar EU SEI com muita autoridade: EU SEI NÃO TEM SIDO FÁCIL!
Mas também tenho autoridade para falar: É POSSÍVEL vencer, fazer isolamento mental de pensamentos destrutivos, organizar uma rotina diária que nos possibilitem fazer o que é necessário para não adoecer em meio a tudo isso.

Vamos combinar algumas coisas aqui:
Se cobrar e não agir não gera resultado positivo, gera frustração. Se você tem dificuldade em organizar suas tarefas durante o dia a dia passe a planeja-las no dia anterior ou semanalmente. Colocar no papel te ajuda a visualizar as prioridades e organizar o seu dia.
Precisamos tirar o peso da cobrança e substituir pela alegria da conquista, da realização, mas isso só é possível com uma visão clara das nossas tarefas.

Uma casa organizada é o braço direito de uma vida mais leve. Se hoje está tudo um caos, fora do lugar, se dedique a organizar!
Bagunça gera estresse, perda de tempo de qualidade e obviamente emoções mais vulneráveis. Se está difícil organizar do lado de dentro observe o lado de fora. Como está?
Organize gavetas, brinquedos, dispensa, e armários. Suas emoções vão sentir um impacto positivo nisso. Faça um pouco por dia. Mas faça!

E por último. Os dias estão passando, nossos filhos estão se desenvolvendo e crescendo nessa nova realidade. Tenha TEMPO DE QUALIDADE com eles. São muitas funções, preocupações mas eles precisam da nossa atenção. Televisão, vídeo game, eletrônicos não são proibidos, são aliados sim, mas não oferecem amor. E nossos filhos precisam de TEMPO DE AMOR. 1, 2 horas diárias no mínimo, ali olho no olho, pele com pele, conversar, confissões, declarações, interesse, troca… eles precisam desse carinho e nós também! É uma troca necessária, sustentável e que renova a energia do nosso lar.

Estamos limitados nas nossas relações afetivas fora do nosso ciclo de convivência diária, mas dentro das nossas casas cabem todos os abraços e beijos do mundo. Não deixe-os para amanhã.

O Lockdown precisa ser da porta para fora. Que o amor tenha livre acesso entre os nossos. Que possamos ter mais paciência diante desse cenário atual que vivemos. Não é fácil ter paciência. Pois o nome já diz: esperar na dor. É assim que age um paciente. Espera!!!

Estamos todos esperando na dor, na dificuldade, no medo, mas eu creio na medicina do amor.

O remédio para o nosso lar está na nossa conduta. Reveja hoje como está sendo esse tempo dentro da sua casa. E mude se for necessário. Ainda não acabou!

Cuide-se!!!
Vamos vencer esse vírus e celebrar muito em breve. Você já chegou até aqui.

Bjs e até a próxima, Maju Hosken

Deixe uma resposta