Você consegue ser você mesma?

Você se sente à vontade sendo você mesma? Você se sente segura o suficiente para dizer não? Você se sente à vontade para tomar decisões que podem tirar você da zona de conforto e se arriscar mais? Olhando para sua vida, até aqui, você se sente mais realizada ou mais frustrada diante de suas escolhas?

Em que medida a moeda de troca que você tem pago para deixar os outros confortáveis tem sido a sua saúde, a sua alegria, a sua vitalidade, os seus sonhos?

Ou será que você tem estado tão perdida que, no desespero de trazer alguma mudança para sua vida, você tem aceitado aquilo que os outros demandam de você cegamente, ou então, tentado se espelhar no que outras pessoas fazem ou dizem, ou, até mesmo, tentando copiá-las, buscando um sentido para o que você faz?

Qualquer mudança que você busque em sua vida só vai realmente ser poderosa se ela nascer, primeiro, dentro de você. E você precisa se ver e se amar, com segurança. Para isso, você precisa se reencontrar com quem você é e identificar de que maneira suas características podem fazer diferença na vida de outras pessoas.

Como tem sido esse processo para você? Que dificuldades você tem enfrentado nesse sentido? Você tem medo de arriscar mudar algo radicalmente na sua vida porque chegou aos 30, 40, 50…?

Desejo que você possa cada vez mais fazer as pazes com a sua própria essência, com o espelho e ser você mesma! Abraços!

Patty Azevedo

Deixe uma resposta