Você gosta do seu corpo?

Já parou pra pensar em como você trata o seu próprio corpo? De que maneira você lida com ele? Quando você pensa em seu biotipo, sua altura, sua idade, suas marcas, que tipo de sentimentos isso desperta em você? Como você se sente quando se olha no espelho?

Quantas vezes nos colocamos para baixo por causa do que julgamos não ser tão “perfeito” assim em nosso próprio corpo. Somos tão cruéis e exigentes para conosco, ao mesmo tempo em que não trataríamos os outros com a mesma carga de críticas com que nos tratamos. Temos a tendência de ficarmos nos comparando o tempo todo com aquilo que julgamos ser um padrão “ideal”, porém, que nem sempre corresponde à realidade.

Temos que cuidar do corpo sim, para termos mais saúde, longevidade, e o resultado desse cuidado será visível ao espelho. Porém não podemos cair na armadilha de deixar que apenas a dimensão do corpo defina quem somos. Nosso corpo carrega uma história e quem viveu essa história é uma pessoa que tem mente, emoções (alma) e espírito. O corpo sofre junto com as outras dimensões cada perda, cada desafio, cada dor, da mesma forma que se alegra com cada conquista. Já parou para pensar que o seu corpo conta a sua história? Tenho certeza de que cada uma de nós tem uma história única, rica e poderosa, e que pode ajudar muitas outras mulheres. Diante dessa história, certas “imperfeições” deixam de ter tanta importância.

Cuide bem de si como um todo, respeite a pessoa plena que você é, respeite sua história e cuide bem do seu corpo também, porque, acima de tudo, você mora nele. Saiba que você pode, sim, ajudá-lo a estar cada vez melhor e mais saudável, não importa a idade. Porém, faça isso por respeito a si mesma e por autocuidado, por amor, e nunca por crítica, inferioridade, cobrança, comparação ou qualquer outro sentimento ruim.

Desejo que você cada vez mais seja plena, saudável, bem-sucedida, não importa a sua idade. Seja sua melhor versão, sempre!

“Hoje reconheço que meu corpo é uma máquina magnífica e me sinto privilegiada por viver dentro dele”. – Louise Hay

Abraços!!

Patty Azevedo

Deixe uma resposta