A vilã do seu verão!

Olá meninas! Como estão?

Hoje vamos falar um pouco a respeito da candidíase, uma doença que infelizmente pode acometer todas as mulheres, independemente da idade.

Uma das maiores queixas das pacientes que procuram atendimento ginecológico, se trata de coceira, ardência e corrimento vaginal!

Vamos entender do que se trata?

〉 O que é:

A candidíase vaginal é uma infecção ocasionada por fungo, chamado Candida Albicans , que causa um corrimento espesso, grumoso e esbranquiçado, acompanhada geralmente de irritação, coceira, vermelhidão no local afetado.

〉 Como pega?

A candidíase não é considerada uma infecção sexualmente transmissível, pelo contrário, esse fungo está presente no nosso organismo, o problema é que ele  é um microorganismo oportunista, daí quando a nossa imunidade diminui, se aproveita desse momento e começa a nos atacar, causando os sintomas.

〉 O que desencadeia a infecção?

Uso de antibióticos: Os antibióticos tem a função de matar ou paralisar o crescimento das bactérias, só que eles não escolhem apenas as bactérias nocivas, pode-se dizer que eles fazem um  sistema de limpeza das bacterias boas e ruins, e algumas bactérias são as responsáveis por impedir que os fungos se proliferem no organismo. Com o caminho livre, os fungos fazem a festa.

  • Gravidez: As oscilações hormonais podem desencadear o aumento do fungo no organismo
  • Diabetes; O excesso de açúcares no sangue, aumentam considerávelmente a quantidade dos fungos, pois eles se alimentam exatamente dos açúcares.
  • Outras infecções (por exemplo, pelo vírus HIV);
  • Deficiência imunológica;
  • Medicamentos como anticoncepcionais e corticoides;
  • Relação sexual desprotegida com parceiro contaminado; Mesmo não sendo considerada uma IST, a relação sexual desprotegida com um parceiro infectado pelo fungo, ocasiona o transporte do mesmo e estando com um ou mais fatores desencadeantes, pode gerar o aparecimento da doença.
  • Vestuário inadequado (roupas apertadas e biquínis molhados; lycra e roupa de academia que aumentam a temperatura vaginal); Já falamos anteriormente sobre isso, calor + umidade = ambiente perfeito para o crescimento dos fungos.
  • Duchas vaginais em excesso: O excesso de “limpeza” na região, retira as bacterias que são as responsáveis pela proteção, deixando o ambiente desprotegido.

〉 Principais sintomas:

Corrimento esbranquiçado;

Coceira;

Escoriações na região vulvar; devido ao ato de coçar, lesionando a pele.

Coloração vermelha na vagina.

Em casos extremos, a candidíase pode causar úlceras.

〉 Como detectar:

Para detectar corretamente a candidíase é necessário um exame clínico, porque os sintomas da doença podem aparecer somente no período de fluxo menstrual ( devido a oscilação hormonal). O diagnóstico é realizado também pelo exame microscópico, como Papanicolau.

〉 Tratamento:

Para o tratamento da doença são recomendadas medidas simples:

  • Devem-se evitar vestuários inadequados;
  • Não praticar duchas vaginais;
  • Não utilizar desodorantes íntimos;
  • Abstinência sexual durante o tratamento;
  • Utilizar camisinha.

Juntamente com essas indicações é recomendado o uso de antimicóticos via oral, além da utilização de creme vaginal de uso tópico. Todo tratamento deve ser indicado por um especialista, pois cada doença possui a sua indicação adequada.

Porém além disso é imprescindivel que em casos de repetição da doença, o tratamento seja mais rígido, fazendo  também o acompanhamento nutricional, pois a alimentação inadequada, com excesso de acúcares e carboidratos deixa o organismo mais suscetível a recidiva da infecção.

Os casos de recidiva,  que geralmente é causada por fatores como estresse,  baixa imunidade, má alimentação ou alguma outra doença. Por esse motivo, quando a candidíase se torna recorrente e a mulher passa a ter que conviver e tratar constantemente o problema, outras causas devem ser investigadas.

A infeção pode se manifestar em outras regiões, como dobras do corpo, abaixo dos seios, boca e garganta, no pênis e região anal.

Então meninas, vamos ficar atentas a esses detalhes, continuar com os cuidados íntimos, não apenas no verão, mas no ano todo, não deixem de fazer o exame preventivo e em qualquer sinal de alteração, procurem ajuda.

 

Beijos da Enfermeira,

Camilla Mota

Siga o Blog no instagram @espelhorosa

Deixe uma resposta