Nesse clima nublado, como você se sente?

O cenário está nublado e incerto na foto de hoje e na nossa fase atual.

Somos bombardeados por notícias e informações de todos os lados.

Estou em isolamento físico há 10 dias.

Eu e João, meu marido, optamos nos afastar para minimizar a probabilidade de contágio para nossos pais, que se encontram em grupo de risco.

Tive o privilégio de trabalhar de casa.

Refletindo, percebi o quanto essa palavra me impacta nesse momento: privilégio.

Nesse período, tenho conseguido manter uma mínima rotina adaptada: exercícios físicos e bastante trabalho. Entretanto, me pego pensando muito nas pessoas que precisam sair de suas casas para trabalhar, não somente as que estão na linha de frente, mas aquelas que não possuem escolha por poderem perder seus empregos, seu sustento.

Esse meu privilégio tem me afetado. Me dói e me movimenta perceber mais uma vez que o nosso mundo prioriza o dinheiro ao humano.

Interesses regem nossas rotinas de trabalho e de vida.

Isso me angustia e me entristece. Meu clima interno também fica nublado.

Ao mesmo tempo, tomo um fôlego e vejo que podemos ter como efeito colateral a pandemia trazer mais luz à essa necessidade de mudarmos de rota.

Repensarmos nossas relações com trabalho, dinheiro e meio ambiente.

Sigo me equilibrando entre os afazeres e projetos na minha bolha, entre as preocupações e incertezas desse cenário global.

Resiliência é a palavra do momento.

Lívia Ramalho

LEIA TAMBÉM:

Deixe uma resposta