Gripe no ar… O que fazer?

Olá meninas, tudo bem com vocês?

Já notaram como nosso clima mudou nos últimos dias? Então, estamos no outono, essa estação gostosa, com o friozinho chegando, hora de tirar o agasalho do armário, fazer aquela sopinha, tomar um chocolate quente.

Porém, com a nova estação, também chega uma preocupação a mais: A Gripe. Já foram noticiados alguns casos de H1N1 bem perto aqui de Brasília, vários casos em Luziânia e Rio Verde GO, então meninas, por se tratarem de cidades vizinhas as nossas, eu tal fazer nossa parte e cuidar da nossa saúde, nossa casa e nossas famílias?

Alguns cuidados são imprescindíveis para se evitar o contágio, vamos entender um pouquinho deles?

〉 Como se transmite a gripe?

Por gotículas respiratórias no ar (tosse ou espirro).

Por contato com a pele (apertos de mão ou abraços).

Por saliva (beijos ou bebidas compartilhadas).

Por toque em uma superfície contaminada (cobertor ou maçaneta)

Então um excelente método para evitar o contato com o vírus é lavar as mãos, sempre! Muita gente pode pensar que seja frescura o quanto repetimos isso, mas meninas, é algo que evita tantas doenças, só trará benefícios. Na impossibilidade da lavagem de mãos, utilizem sempre o álcool em gel, é eficiente e simples de se ter na bolsa.

〉 Vacinação

Este ano a vacinação contra a Gripe (incluindo H1N1) será antecipada, com data provável para iniciar, no Distrito Federal em 24/04/2017. A ação acontece entre abril e maio.

Os grupos mais vulneráveis devem se vacinar todos os anos. Pessoas com 60 anos ou mais, gestantes, mulheres com até 45 dias pós-parto, crianças de 6 meses a menores de 5 anos, doentes crônicos, trabalhadores da saúde e populações indígenas devem ir até um posto de vacinação para se protegerem contra a gripe.

Em caso de síndrome gripal, a recomendação é procurar um serviço de saúde o mais rápido possível. A vacina contra a gripe não é capaz de eliminar a doença ou impedir a circulação do vírus. Por isso, as medidas de prevenção são tão importantes, particularmente durante o período de maior circulação viral, que é entre os meses de junho e agosto.

Também é importante lembrar que, mesmo pessoas vacinadas, ao apresentarem os sintomas da gripe – especialmente se são integrantes de grupos mais vulneráveis às complicações – devem procurar, imediatamente, o serviço médico.

Os sintomas da gripe são: febre, tosse ou dor na garganta, além de outros, como dor de cabeça, dor muscular e nas articulações. Já o agravamento pode ser identificado por falta de ar, febre por mais de três dias, piora de sintomas gastrointestinais, dor muscular intensa e prostração.

Por hoje é isso!

Beijo da Enfermeira

Camilla Mota

Fonte: Ministério da Saúde

Deixe uma resposta