Dá pra mudar pra melhor depois dos 40?

Chegar aos 40 anos com a sensação de não estar totalmente satisfeita com a própria vida, sentindo-se desconectada da própria identidade, sem enxergar um propósito naquilo que faz, doente no corpo e nas emoções não é nada fácil. Priorizar os cuidados com o corpo e a mente, em um estilo de vida saudável, com novas rotinas e hábitos, então, não era algo que estava no topo daquilo que era mais importante para mim. Vou contar pra vocês o que eu percebi que acontecia comigo.

Eu me preocupava em cuidar dos outros, em providenciar uma vida confortável e segura para todos, em fazer as pessoas se sentirem confortáveis perto de mim, em não levar meus problemas para mais ninguém, mas não percebia o quanto isso estava me adoecendo por dentro e por fora. O corpo grita o que o coração cala. O que foi, então, que eu tive que priorizar para mudar essa situação já tendo chegado aos 40 anos, quando todo mundo diz que é mais complicado?

  1. Ativei um estado de consciência de que eu precisava mudar, nem que fosse na marra, porque se não fizesse isso, não viveria mais 40 anos e não cumpriria meu propósito nessa Terra.
  2. Percebi que a primeira coisa que eu precisava resgatar em mim mesma era a minha saúde física, porque sem saúde, não haveria condições de fazer qualquer outra coisa.
  3. Entendi que, junto com o cuidado com a parte física, eu precisava mudar a minha maneira de pensar e sentir em relação ao que eu gostaria de alcançar para mim mesma. Pensamentos geram sentimentos, que geram atitudes, que geram resultados. Se eu quisesse novos resultados, teria que mudar meus paradigmas internos a fim de transformar a minha própria história.
  4. Entendi também que não há transformação sem processo, e processo leva tempo, envolve certa dose de desconforto e sofrimento, mas é necessário. Junto com as dores, viriam também os ganhos.
  5. Compreendi que cada pequeno passo é importante e que celebrar cada um deles gera uma nova história de vitória, criando uma trajetória de ressignificação e alimentando a percepção interna da importância de não desistir diante das adversidades.

E você? Chegou a essa fase da vida e está com dificuldades de mudar? O processo realmente não é tão fácil, mas é possível, e você pode dar, hoje, o primeiro passo para se tornar protagonista de uma nova história.

Estamos torcendo por você!

Abraços!!

Patty Azevedo

Deixe uma resposta